Escolha uma Página

Fralda Geriátrica, como Cuidadores de Idosos devem proceder

por | 8 setembro, 2018

Cuidadores de Idosos para Administração de Medicação

Fralda Geriátrica, como Cuidadores de Idosos devem proceder

Importância da fralda geriátrica

Os cuidados com a higiene em todas as fases da vida são importantes por uma questão de saúde. Na terceira idade não é diferente, visto que esses cuidados se tornam ainda mais necessários devido a algumas particularidades comuns a essa fase da vida. Um bom exemplo é o uso das fraldas geriátricas, um produto voltado especialmente para esse tipo de público.

Se comparada a uma fralda infantil veremos que a fralda geriátrica é muito mais absorvente pois, possui muito mais material, e de uma estrutura maior pois recebem mais urina e fezes. Existem em vários tamanhos e de acordo com o grau de incontinência urinária que pode variar de leve, moderada e severa e essas categorias indicam também o grau de absorção.

Pessoas que precisam usar fraldas geriátricas:

Normalmente, a fralda geriátrica, é facilmente encontrada em farmácias e supermercados, e só deve ser utilizada em pessoas acamados que não conseguem controlar a vontade de urinar ou defecar, como após um AVC, por exemplo. Nos outros casos, é recomendado levar a pessoa ao banheiro ou usar uma comadre ou patinho para que não se perca o controle dos esfíncteres ao longo do tempo.

O uso da fralda pode trazer ao idoso algum constrangimento, sensação de perda de mais uma capacidade e por isso pode haver alguma resistência. Por isso a indicação deve ser realizada com prévia avaliação singular e criteriosa do idoso. As possíveis indicações possuem três características fundamentais: idosos com restrição motora ou déficit de mobilidade, idosos com déficits cognitivos (memória), demências e idosos com episódios de incontinência urinária ou intestinal, estes com incapacidade para o autocuidado.

Se o idoso apresenta incontinência urinária leve (baixo volume e frequência da perda urinária), podem ser indicados produtos menores, chamados de absorventes geriátricos, disponíveis nos modelos feminino e masculino. Quando o adulto ou idoso apresenta alguma mobilidade, podem ser indicados os modelos que são vestidos como uma roupa íntima (imitam uma calcinha ou cueca com protetor), facilitando o uso do banheiro, além de diminuir o constrangimento do uso de uma fralda tradicional.

No caso de pessoas acamadas, é recomendado o uso dos modelos tradicionais de fralda (chamadas também de protetores ajustáveis), pois são mais confortáveis para o usuário e facilita o cuidado prestado pelo familiar/cuidador.

Como lidar com essa situação:

Alguns idosos aceitam com mais naturalidade o fato da necessidade do uso de fraldas geriátricas, outros nem tanto porque se sentem incapazes de cuidar de si mesmo. Esse fato faz com que muitos idosos deixem de cuidar de sua saúde, vitimizando o outro pelo seu estado atual e se tornando uma pessoa difícil de conviver.

Neste momento os familiares precisam ter bastante paciência e explicar a pessoa cuidada o que está acontecendo e porque ela precisa usar fralda. Não o fique culpando, ou dizendo que está perdendo tempo, mesmo que o idoso não esteja em sã consciência, ele tem sentimentos. Por isso, é necessário ter muita generosidade para com o idoso.

Quando o idoso estiver muito resistente chame um psicólogo, ou alguém da família que ele confia para conversar com ele e esclarecer que usar fralda geriátrica é um processo lento mas necessário, no caso da pessoa ter incontinência urinária, explique também que há tratamentos e, que podem ser feitos para sua melhora.

Avaliação do produto para uma compra correta:

Boa capacidade e velocidade de absorção. Muito importante avaliar esse item para diminuir os riscos de um processo inflamatório chamado de Dermatite Associada à Incontinência (DAI), também conhecido como assadura. Essa lesão, além do desconforto e dor para a pessoa cuidada, pode evoluir e chegar a causar uma infecção local.

Característica para escolha da fralda:

• Possuir velocidade e capacidade de absorção de acordo com o grau de incontinência.

• Cobertura externa em tecido suave e controle de odor ou produtos que neutralizem o odor por algumas horas.

• Ter barreiras laterais que impeçam vazamentos.

• Ser hipoalérgicas.

• Ter formato anatômico.

• Vir com orientações para uso de produtos hidratantes.

• Para uso por baixo da roupa, devem ser discretas e, menos volumosas (calcinhas geriátricas para incontinência)

Apenas com o uso será possível perceber suas características. Uma delas está relacionada às fitas adesivas e a superfície onde serão fixadas. Quando a fita é de boa qualidade, ela pode ser aberta e fechada sem que isso traga algum dano a fralda, permitindo que tenha um ajuste perfeito ao corpo. Outro ponto está relacionado às costuras do elástico da fralda. Quanto mais reto for o corte, menor ajuste ao corpo.

Além disso, a maior parte das fraldas descartáveis disponíveis no mercado possui cobertura externa plástica, portanto uma fralda não vazará para a outra. Se o volume de urina for grande ou mesmo a frequência de evacuações, basta procurar um modelo de fralda com dupla camada e gel superabsorvente para garantir a capacidade de absorção, mas jamais usar dois produtos sobrepostos.

Importante ressaltar que a qualidade da fralda deve ser regulamentada pelos órgãos reguladores a fim de que tenham boa espessura, tamanho. Quantidade de gel, entre outros parâmetros como a não utilização de plásticos para não aquecer e causar lesões cutâneas (assaduras). Preço mais acessível, não significa qualidade inferior, existem várias marcas de boa qualidade e absorção.

Critérios que envolvem a troca de fralda:

Os critérios que envolvem o uso e troca de fraldas, estabelecem indicação individualizada e práticas que previnam danos pelo uso frequente e a exposição à umidade que os resíduos das eliminações provocam, como úlceras por pressão, ou outras lesões cutâneas. Geralmente ao que se refere ao idoso com restrição ao leito, redução de mobilidade, déficit cognitivo ou motor e, com incapacidade de se autocuidar, com dor, não causam estranhamento uma vez que necessita de auxílio para executar as atividades da vida diária.

A troca de fraldas dos idosos é uma das tarefas mais difíceis e importantes dos cuidadores. Proporcionar condições de higiene adequadas ajuda a evitar o surgimento de assaduras, infecções e permite maior conforto, segurança e qualidade de vida aos idosos que apresentam mobilidade reduzida ou sofrem de incontinência urinária ou fecal.

Habitualmente, a troca de fralda é realizada quando ocorre a eliminação urinária ou intestinal. No entanto, devem ser considerados também outros aspectos, como a frequência das eliminações, o uso de produtos adjuvantes (absorventes, pomadas hidratantes ou emoliente), limpeza da região perineal, tipo e tamanho da fralda utilizada.

Abaixo algumas dicas para ajudar o cuidador:

• É recomendado fazer aplicações de cremes hidratantes e produtos para limpeza e manutenção da pele com movimentos suaves e o mínimo de atrito e fricção. No caso de sabonetes prefira os neutros para evitar o surgimento de irritações na pele.

• Descole a fralda e limpe a região genital com uma gaze molhada em água e sabão ou lenços umedecidos, retirando a sujeira sempre da região genital para o ânus, para evitar infecções urinárias.

• A frequência ideal para a troca de fraldas é de 3 a 6 vezes por dia. A cada episódio de evacuação, porém, a troca deve ser realizada imediatamente, pois as fezes não são absorvidas pelas fraldas e podem irritar a pele, ou mesmo contaminar a uretra feminina, já que a anatomia dos órgãos genitais da mulher é bastante vulnerável à infecção urinária.

• Já nos episódios de incontinência urinária, deve-se considerar o uso de produtos com maior capacidade e velocidade de absorção para prevenir as lesões relacionadas à exposição prolongada da pele à urina. Um dos produtos a serem utilizados pode ser o absorvente geriátrico dobrado como sanfona e colocado dentro da frada e à frente da uretra da mulher, para que a urina seja absorvida pelo absorvente geriátrico isolando e impedindo que o conteúdo entre em contato com a fralda evitando que o meio úmido fique em contato com a área protegida pela fralda. Contudo deve-se observar sempre, para que a umidade não permaneça por muito tempo, mesmo que em um espaço bem pequeno.

• Uma boa estratégia de posições é colocar a pessoa deitada em decúbito dorsal (de barriga para cima), depois virada para um lado, novamente de barriga para cima e, finalmente, para o outro lado, repetindo constantemente.

• Outros cuidados de higiene importantes, se destacam a atenção para a fragilidade cutânea, que é comum ao envelhecimento. Nesse caso, os cuidados devem se basear no mínimo atrito e fricção durante os movimentos de limpeza e a manutenção da pele, que deve estar mais seca possível para favorecer a prevenção de dermatites. Além disso, o uso de sabonete neutro é necessário, pois favorece uma menor irritabilidade da pele por uma menor chance de causar prurido e incômodo.

Reunindo o material necessário, troca de fralda e posicionamento do idoso:

• Lavar as mãos e colocar luvas de procedimentos

• Reúna todo o material necessário para a troca: uma fralda limpa, um cesto ou saco de lixo para descartar (fralda suja, lenços, gazes, papel higiênico), lenços umedecidos ou água e sabão líquido e, se for o caso, creme protetor ou pomada.

• Retire a fralda suja e, coloque no saco de lixo separado para esse fim.

• Com o idoso deitado de barriga para cima (decúbito dorsal), abra a fralda. Além da higiene corporal, realizada durante o banho, a limpeza local deve ser realizada a cada troca, mesmo se for apenas urina.

• O ideal é fazer a limpeza antes de remover completamente a fralda, principalmente se a pessoa tiver defecado. Remova todo o conteúdo das eliminações (fezes e urina).

• Após a higienização da pele, coloque o idoso deitado de lado (decúbito lateral).

• Retire a fralda, puxando-a da frente para trás. Puxe-a pelas pernas da pessoa, seguindo na direção do bumbum, e dobre para esconder a sujeira. Descarte-a corretamente, colocando-a em um saco de lixo antes de colocá-la no cesto, para reduzir o odor desagradável.

• Depois de remover a fralda, retire as luvas e use um par novo.

• Finalize a higiene. Pegue um novo lenço umedecido e passe na região íntima da pessoa. É importante limpar muito bem tudo antes de dar seguimento. Enquanto os lenços continuarem saindo sujos, continue.

• Limpe cuidadosamente, principalmente se a pessoa for idosa. A pele provavelmente estará mais sensível do que o normal.

• É muito importante que a pessoa fique completamente limpa.

• Deixe secar naturalmente. Assim que a região íntima da pessoa estiver limpa, deixe-a secar naturalmente; não é bom colocar uma fralda enquanto a pele ainda está úmida.

• Posicione a fralda (protetor absorvente ajustável) na região posterior (cintura e nádegas), de forma centralizada, dobrando a parte que vai ficar na outra lateral para abaixo e acima das nádegas.

• Vire o idoso com a barriga para cima (decúbito dorsal), mantendo o posicionamento da fralda no local correto, e depois vire-o para o lado próximo ao seu, assim posicionará a outra lateral da fralda corretamente.

• Após secar a região genital e anal, é importante criar uma barreira de proteção entre a fralda e a pessoa e, é recomendado aplicar uma pomada para assadura para evitar o ressecamento da pele e as assaduras.

• Vire a pessoa para ajustar a fralda e a posicioná-la sobre a região genital e abdômen, observando se a fralda está centralizada.

• Fixe ou feche as abas laterais da fralda, sejam elas adesivas ou de velcro. A fralda deve ficar firme, mas sem apertar a pessoa. observando se o ajuste está seguro e, ao mesmo tempo, confortável para o idoso. A ideia é que seja possível colocar um dedo nela, confortavelmente.

• Pode ser preciso girar a pessoa para o outro lado, para encaixar completamente a fralda.

• Descarte as luvas. Puxe-as virando-as do avesso, sempre, e jogue-as no lixo.

• Coloque o oleado e sobre ele o lençol móvel de preferência 100% algodão. Estique bem para não deixar marcas e dobras na pessoa cuidada. Posicione o lençol embaixo da pessoa para proteger o colchão de possíveis intercorrências como vazamentos e urina e fezes.

• Caso a cama seja articulada, é aconselhável que esteja elevada ao nível do quadril do cuidador e completamente na horizontal, para facilitar a troca da fralda.

Dicas Importantes:

• Se você é cuidador de pessoa que usa fraldas, lembre-se de usar sempre luvas nas trocas de fraldas ou higiene íntima, banhos para evitar o contato com fluidos corporais e dejetos sólidos.

• As fraldas geriátricas para adultos são descartáveis e podem ser encontradas em diferentes tamanhos e grau de incontinência. Procure por um produto mais adequado para o tamanho da pessoa que vai usá-la, pois o conforto é importante.

• Mantenha a calma, respeito e mantenha a privacidade da pessoa que usa as fraldas. Ela merece dignidade e conforto.

• Se a pessoa tiver sobrepeso, sempre que for possível, peça que outra pessoa o ajude a mover e sustentar o paciente.

• Lembrando que você deve secar bem a região genital da pessoa e aplicar uma camada generosa de pomada antes de colocar a nova fralda.

Aviso importante:

• Não importa o que faça no processo de troca de fralda, nunca descarte a fralda, absorvente, lenços umedecidos, papel higiênico ou gaze usados, no vaso sanitário.

Consequências do uso de fraldas geriátricas em adultos sem os cuidados necessários:

• A exposição prolongada a umidades residuais ácidas das eliminações provoca o aparecimento de lesões de pele.

• Não utilizar o isolamento da uretra feito com absorventes para mulheres e homens, favorece a contaminação por partículas de fezes e favorece a infecção urinária por bactérias.

• A úlcera por pressão é promovida pela exposição prolongada da pessoa aos resíduos das eliminações e na mesma posição, sem troca no momento correto e sem mudança de decúbito.

• A hidratação precária interna como externa (pele), também favorece o ressecamento da pele, perdendo o turgor, formando rachaduras que podem virar pequenas fendas que podem sangrar, inflamar e abrir, causando dor e incômodo a pessoa cuidada.

• Nutrição indevida, inadequada, ineficiente, em horários irregulares e, sem os nutrientes necessários, perde a gordura que pode causar flacidez na pele, afinamento, fraqueza muscular, anemia, pele sem brilho, e sem rigidez, tão necessária para suportar o atrito e uso da fralda.

• A falta de mobilização da pessoa acamada ou com redução de movimentos, durante a troca de fralda com higienização, não realizar a mudança de decúbito a cada duas horas, falta de sedestação (retirar da cama para cadeira de rodas, poltrona, cadeira higiênica), a falta de atitude do cuidador prejudicam a pessoa cuidada, pois, o posicionamento em sedestação e a elaboração desses movimentos simples e básicos aumenta o volume pulmonar fato que pode determinar o aumento da força dos músculos respiratórios.

Existem no mercado vários modelos disponíveis, mas o importante é que a fralda geriátrica escolhida tenha tecido e algodão com espessura e tamanho adequado. Procure evitar comprar fraldas feitas somente de plástico (o plástico tende a provocar irritação na pele). A qualidade e boa quantidade de gel aplicados também são essenciais para absorção e conforto.

Vejas as últimas notícias em nosso Blog

Cuidando de Pessoas Idosas Passo a Passo

    Cuidando de Pessoas Idosas Passo a Passo O cuidador: O cuidador é a pessoa contratada pela família para cudar do idoso, porém o cuidador também pode ser alguém da família (cuidador familiar), ou a pessoa mais próxima, ou um amigo. Geralmente a pessoa que inicia os...

ler mais

Como Cuidadores devem Manobrar e Manusear Pessoas Idosas

    Como Cuidadores devem Manobrar e Manusear Pessoas Idosas Avaliação das condições físicas da pessoa idosa: • Explicar para a pessoa como será feita a movimentação; • Capacidade de colaboração, explicando-lhe para onde será encaminhado e o motivo da movimentação; •...

ler mais

Contatos

Rua Guaiaca, 264
Rio de Janeiro
RJ CEP 21720-330

0800 591 3198

atendimento@sancare.com.br

Escreva pra gente!

Share This