Escolha uma Página

Fisioterapia Uroginecológica para que Serve e Benefícios

por | 2 setembro, 2018

Cuidadores de Idosos para Administração de Medicação

Fisioterapia Uroginecológica para que Serve e Benefícios

Você conhece a Fisioterapia Uroginecológica? Essa especialização da Fisioterapia trata disfunções relacionadas à região pélvica e estimula o fortalecimento dos músculos da área.

Mas fisioterapeuta trabalha com isso? Trabalha sim! E seu trabalho pode ser a solução tanto para homens quanto mulheres que sofrem com incontinência e urgência urinária. Entenda como é o tratamento com fisioterapia uroginecológica em nosso artigo.

O que é a Fisioterapia Uroginecológica?

A fisioterapia uroginecológica é uma área voltada para o tratamento de problemas relacionados ao assoalho pélvico. Essa região desempenha diversas funções junto aos órgãos e pode sofrer um enfraquecimento muscular natural com o passar dos anos ou por algumas complicações.

Assim, a fisioterapia uroginecológica introduz uma série de exercícios para as disfunções urogenitais e anorretais. São atividades que fortalecem os músculos que sustentam a bexiga, o reto e o útero, e podem resolver muitos problemas relacionados ao trato urinário da pessoa.

Mulheres que tiveram muitos filhos podem apresentar problema no períneo, condição que resulta na fragilidade dos músculos da região pélvica. Isso causa um prolapso genital e deixa os órgãos sem sustentação, como a “bexiga caída”.

Esse problema pode acontecer tanto devido ao parto cesariano quanto ao parto normal, este último com mais frequência. E a fisioterapia uroginecológica promove todo o fortalecimento para que essa região restabeleça sua força muscular.

Já vimos também pacientes com histerectomia total – retirada do útero e do colo do útero – que, após a cirurgia, por algum motivo, começou a sofrer com problemas urinários. Diversas situações que acometem o assoalho pélvico podem e devem ser tratados com exercícios específicos para a região uroginecológica.

Problemas tratados com Fisioterapia Uroginecológica

Incontinência Urinária

Geralmente a incontinência urinária é percebida quando a pessoa espirra, tosse ou faz algum esforço e uma pequena quantidade de urina é eliminada. A pessoa não consegue conter a urina. Então se ela pegar um balde pesado ou se abaixar de mau jeito, solta um jato de urina.

Urgência Urinária

É quando a pessoa não aguenta segurar a urina na bexiga. Na urgência urinária, por exemplo, a pessoa vai ao banheiro urinar e depois de uns dois minutos já sente vontade novamente. Muitas vezes sua urgência é tamanha que não consegue nem abrir a porta do banheiro para urinar no vaso, fazendo ali mesmo.

Algumas mulheres chegam a usar absorventes, enquanto outras pessoas optam por usar fraldas devido aos problemas urinários. E não pense que é só a pessoa idosa que tem esses problemas. Nós já vimos mulheres de 38, 40 anos com a condição. Homens mais novos também podem passar por isso.

Esse problema é muito desagradável, porque às vezes você acabou de tomar um banho, foi para a rua, espirrou e soltou um jato de urina. O incômodo é realmente grande, mas algumas pessoas têm medo de tratar problemas uroginecológicos.

Mas por que têm medo? Primeiro, por vergonha de falar com o médico. Segundo, quando o médico orienta a realização da fisioterapia uroginecológica, a pessoa acha que vão introduzir alguma coisa nela, não sabe como isso é feito, e acaba ficando com medo pelo desconhecimento.

Tratamento com Fisioterapia Uroginecológica

O tratamento com a fisioterapia uroginecológica é realizado através da aplicação de algumas técnicas. O objetivo é restabelecer as funções da região pélvica e fortalecer o tônus muscular relacionado à área.

Eletroestimulação

Com homens, podemos fazer estímulos com eletrodos na região anal. São choques leves, suportáveis e indolores. Os eletrodos induzem pequenas contrações para estimular a região intra-anal. É um recurso utilizado quando a pessoa tem perda de urina ou fezes, porque tudo fica muito próximo nessa região.

Também podemos utilizar os eletrodos nas mulheres. As contrações são muito simples e localizadas. Tanto a vagina ou o ânus possuem musculaturas que vão se tornando flácidas. Em determinadas situações, a pessoa não vai conseguir mais reter a urina devido a esse músculo enfraquecido.

A incontinência fecal também é um problema que pode ser tratado com a eletroestimulação. Na fisioterapia uroginecológica, trabalhamos para fortalecer toda essa região muscular e melhorar os efeitos do problema na pessoa.

Exercícios fisioterapêuticos para a região pélvica

Podemos realizar exercícios específicos para estimular o assoalho pélvico. São exercícios simples, como apertar uma bola entre as pernas e fazer uma série de três sessões de 10 repetições. Pedimos que a pessoa contraia e relaxe a região da vagina ou do ânus ao apertar a bola entre as pernas. A força deve estar concentrada na contração voluntária desses músculos específicos.

Outro exercício bastante simples que aplicamos na fisioterapia uroginecológica é a micção fragmentada. Orientamos o paciente: “Na hora em que você estiver urinando, você dá um jato, prende, para um pouco a urina, solta novamente, dá outro jato, prende de novo”. Com esse exercício a pessoa está trabalhando aquela musculatura da estrutura do esfíncter.

Realizamos também o exercício da ponte, onde a pessoa eleva os quadris, segura a posição e conta até 10. O objetivo é forçar a musculatura da região anal e genital. Também temos exercícios de fisioterapia motora focados nos movimentos da musculatura do assoalho pélvico.

Fisioterapia Uroginecológica para Homens

Problemas urinários nos homens são comuns após a cirurgia de próstata. A próstata passa muito perto da uretra do homem e por vezes comprime e lesiona a região. Isso gera alguns problemas, como mencionamos, de incontinência urinária e urgência urinária.

Muitas vezes é um problema que os homens não sabem lidar muito bem por terem vergonha ou acharem que é um tabu. Mas a fisioterapia urológica masculina pode melhorar bastante seu problema.

O uso de eletrodos na região anal e o exercício fisioterapêutico de segurar e soltar a urina durante a micção costumam trazer resultados muito positivos para os homens.

Fisioterapia Uroginecológica para Mulheres

O público feminino é o que mais sofre com problemas do trato urinário. As mulheres são mais suscetíveis às infecções urinárias, sua flora bacteriana também é maior. A região é muito mais vascularizada e por isso acaba tendo mais problemas que os homens.

A incidência também aumenta após a menopausa e a flacidez muscular na região é muito frequente a partir dos 60 anos. Uma infecção urinária de repetição não tratada pode levar a outros problemas mais graves do sistema urinário.

Além dos exercícios fisioterapêuticos e eletrodos, na fisioterapia uroginecológica aplicada em mulheres podemos utilizar alguns cones vaginais. Esses cones são pequenas cápsulas com peso introduzidas na vagina para estimular a musculatura do seu assoalho pélvico.

Muitas pessoas ficam com vergonha de comprar esses cones, mas eles são objetos individuais. São encontrados às vezes em sex shops ou em lojas de produtos hospitalares. O cone pode ter pesos variados, geralmente começa com 20 g e vai até 100 g.

Quando o cone é introduzido na vagina da mulher, pedimos que ela fique sentada e force contrações vaginais. Ela vai sentir aquele cone e precisa segurar esse agente físico lá dentro com a força de sua musculatura.

Após realizar o exercício sentada, pedimos para fazer o mesmo procedimento andando. A mulher deve dar alguns passos sem deixar o cone cair. É um exercício que vai fortalecendo toda sua musculatura da região. Quando a mulher consegue segurar bem o cone de 20 g, aumentamos um pouco mais o peso e assim suscetivelmente.

Resultados com Fisioterapia Uroginecológica

O tratamento com a fisioterapia uroginecológica começa a apresentar resultados geralmente após cerca de seis meses. É um trabalho em longo prazo e que requer persistência da pessoa. O paciente pode fazer sessões de fisioterapia duas ou três vezes na semana.

O fisioterapeuta em uroginecologia também orienta exercícios a serem realizados em casa. Mas uma parcela dos pacientes não costuma seguir as recomendações do profissional, o que retarda ainda mais o tratamento e os resultados esperados.

A fisioterapia uroginecológica proporciona uma melhora em todo o quadro de incontinência urinária e urgência urinária. Isso quer dizer que a pessoa vai diminuir suas idas ao banheiro e conseguir conter a urina quando espirrar ou tossir.

Quando a pessoa segue o tratamento de forma adequada, o resultado é bastante positivo. Ela começa a sentir sua musculatura mais trabalhada, mais forte e os problemas urinários podem ser sanados muitas vezes sem intervenções cirúrgicas.

Persistência no tratamento é fundamental

Às vezes o indivíduo demora muito a se tratar com a fisioterapia e seu problema se agrava. Em alguns casos, infelizmente, a fisioterapia uroginecológica não será suficiente e o paciente será encaminhado para a cirurgia.

É como o exemplo de hérnia de disco não tratada. A hérnia é um disco que fica entre uma vértebra e outra e começa como uma pequena herniação que ainda não saiu. Se a pessoa começa a tratar logo no início, tem um ótimo resultado. A hérnia não fica extrusa, extravasada, e a pessoa não precisa de cirurgia.

Mas algumas pessoas sentem dor e não procuram o médico. Consequentemente, não fazem também a fisioterapia. Quando chegam a ir ao médico, que passa um anti-inflamatório e indica “Olha, tem que fazer 10 sessões de fisioterapia”, muitas pessoas não fazem.

Não fazem porque dizem não têm tempo, ou porque trabalham muito, ou porque não querem fazer mesmo. Às vezes chegam a fazer uma sessão de fisioterapia, já sentem um alívio grande da dor e nunca mais voltam. E aí quando a pessoa percebe o erro e quer voltar a fazer os exercícios, já tem que operar porque o problema ficou muito maior.

Isso acontece também em todos os tipos de infecção urinária e problemas do trato urinário em geral. A fisioterapia uroginecológia é um poderoso tratamento que tem a capacidade de melhorar diversos problemas decorrentes do enfraquecimento dos músculos do assoalho pélvico.

Muitos exercícios também podem ser realizados de forma preventiva, mas é necessária a orientação do profissional adequado. Se você tem sofrido com dores na região pélvica ou tem percebido incontinência ou urgência urinária, não deixe para resolver depois.

Converse com seu médico, faça seus exames e aproveite todas as técnicas que a fisioterapia uroginecológica tem a oferecer para melhorar sua qualidade de vida.

Vejas as últimas notícias em nosso Blog

Fisioterapia Pediátrica para que Serve e Benefícios

    Fisioterapia Pediátrica para que Serve e Benefícios Algumas técnicas fisioterapêuticas específicas atendem a um grupo determinado pela idade e suas necessidades motoras abrangentes. É o que acontece na Fisioterapia Pediátrica, que atua com pacientes recém-nascidos...

ler mais

Fisioterapia Neurológica: Para que Serve e Benefícios

    Fisioterapia Neurológica: Para que serve e Benefícios Alguns distúrbios neurológicos, sejam temporários ou permanentes, podem prejudicar movimentos essenciais para o equilíbrio corporal e o desenvolvimento motor da pessoa. A fisioterapia neurológica atua...

ler mais

Fisioterapia Respiratória para Retorno à Independência

    Fisioterapia Respiratória para Retorno à Independência Muitas vezes respiramos sem nem perceber todos os movimentos que o nosso corpo realiza para obter oxigênio. Mas quem sofre com problemas respiratórios sabe bem como isso pode ser difícil. É nessa área que...

ler mais

Contatos

Rua Guaiaca, 264
Rio de Janeiro
RJ CEP 21720-330

0800 591 3198

atendimento@sancare.com.br

Escreva pra gente!

Share This