Escolha uma Página

Fisioterapia Ortopédica para Fraturas, LER, Tendinite, Bursite, Osteoporose

por | 15 julho, 2018

Cuidadores de Idosos para Administração de Medicação

O que é a Fisioterapia Ortopédica?

Primeiramente, é importante relembrar que a fisioterapia é um ramo especializado da medicina que lida com o gerenciamento de lesões ou deficiências por meio de exercícios, técnicas manuais, educação e conselhos.

A Fisioterapia Ortopédica é um ramo importante da Fisioterapia que lida com condições ortopédicas traumáticas, como fraturas, estiramento muscular, lesão do ligamento, tendinite, bursite, dor no pescoço e nas costas, entre outros.

Condições como distúrbios musculoesqueléticos relacionadas ao trabalho e lesões de repetição de movimento (LER) se encaixam na alçada destes fisioterapeutas.

Por que um fisioterapeuta especialista em ortopedia?

Um fisioterapeuta que fez um programa de pós-graduação no campo da Fisioterapia Ortopédica possui um conhecimento profundo dos ossos e das estruturas do tecido mole.

Ele entende sua anatomia, reação à lesão e padrão de recuperação.

Além do mais, ele é a melhor pessoa para reabilitar um indivíduo que está sofrendo de condições como ruptura de ligamento, rigidez pós-fraturas, etc.

Utilizando seu conhecimento da fisiologia do exercício, terapia do exercício e eletroterapia, ele pode ajudá-lo a montar o plano de reabilitação mais eficaz possível.

O que acontece na consulta?

Se você está sofrendo de um problema de articulação ou tecido mole, você precisa visitar um fisioterapeuta especialista.

Você pode ser encaminhado pelo seu médico, ou até mesmo buscar o fisioterapeuta ortopédico mais próximo por inciativa própria.

Na sua primeira sessão um histórico detalhado sobre a dor, local da lesão e mecanismo da lesão será avaliado.

Isso dará ao fisioterapeuta ortopédico uma ideia sobre as possíveis estruturas envolvidas.

Então ele vai confirmar qual é a estrutura exatamente envolvida.

Isto pode ser feito ao avaliar a limitação do movimento e força muscular.

Ele também pode utilizar testes específicos que ajudam a suscitar a frouxidão do ligamento.

A natureza e severidade da dor e os resultados da avaliação completa ajudam o fisioterapeuta a identificar a causa exata.

Ele verifica o impacto da lesão ou como esta impede suas atividades diárias.

Isto irá ajudá-lo a estabelecer objetivos funcionais a curto prazo.

Ele também avaliará o sistema nervoso e outros sistemas relacionados para descartar qualquer outro problema associado.

Uma vez que o fisioterapeuta der um diagnóstico, discutiremos o plano de reabilitação.

Ele listará alguns objetivos a curto e longo prazo e as estratégias de intervenção.

As sessões de reabilitação são conduzidas uma vez por semana.

Ainda que o paciente não sinta mais nenhum dos sintomas originais, ainda será adequado ter que ir a algumas sessões adicionais para manter o progresso.

Então o paciente receberá alta com um programa de exercícios para realizar em casa.

O Fisioterapeuta Ortopédico em vários contextos

É comum encontrar fisioterapeutas ortopédicos nas alas hospitalares após cirurgia de substituição de articulações, ou fixação interna de fratura com parafusos e chapas.

Os fisioterapeutas ortopédicos geralmente cuidam de um departamento ambulatorial para condições como artrite, lesão de chicote e outras lesões de músculo ou ligamento.

Os fisioterapeutas também podem atender pacientes domiciliares que precisam ficar na cama devido às suas lesões.

Ele atendem também em lares para idosos e para pessoas de terceira idade que sofrem de fraqueza e imobilidade devido à idade.

A caixa de ferramentas do Fisioterapeuta Ortopédico

Um fisioterapeuta lida com uma grande variedade de lesões articulares, musculares e de ligamento, utiliza principalmente técnicas manuais com alguns adjuntos de eletroterapia.

Aqui estão alguns exemplos de condições clínicas comuns tratadas por um fisioterapeuta ortopédico.

• Estiramento Muscular

É melhor tratado nos estágios iniciais por meio de uma massagem profunda do tecido.

A massagem profunda do tecido ajuda a alinhar o tecido de cicatrização e melhora a circulação sanguínea.

Um aumento na circulação sanguínea leva mais oxigênio ao local lesionado e a uma remoção mais rápida dos compostos químicos que produzem a dor.

Isso é muito eficaz para a redução de dor, além de acelerar o processo de recuperação.

Uma vez que os níveis de dor diminuam, o fisioterapeuta então se concentra em recuperar a força muscular ideal.

A melhor forma de fazer isso é alongando o músculo.

Muitas técnicas como o alongamento constante, o alongamento FNP, o alongamento ativo, e alongamentos balísticos que são utilizados pelos fisioterapeutas em diferentes estágios para recuperar a força muscular.

Uma vez que o alongamento do músculo tenha sido recuperado, o próximo passo é a força.

Aqui, o fisioterapeuta utiliza seu conhecimento sobre a orientação e ação do músculo para decidir a melhor posição para seu fortalecimento.

Ele utiliza pesos e exercícios de corrente cinemáticos, e de cinemática fechada para recuperar a força muscular.

Faixas elásticas são bastante utilizadas por estes fisioterapeutas para o fortalecimento tanto em casa quanto na clínica.

• Músculo Distendido

Este tipo de lesão é tratado com uma massagem profunda do tecido e técnicas de liberação miofascial, onde a mobilidade entre o músculo e sua cobertura adjacente é melhorada.

Ocasionalmente, pode haver pontos de estímulo em um músculo distendido.

Um ponto de estímulo é a parte do músculo que está em contração constante. Estes pontos são a fonte de dor irradiante.

Eles são tratados com a fisioterapia de liberação do ponto de estímulo, que envolve a aplicação de pressão ao ponto por alguns segundos.

O uso de frequências ultrassônicas fisioterapêuticas (1Mhz e 3Mhz) também é eficaz para aliviar a dor.

• Ligamento Distendido

É tratado com descanso e exercícios musculares nas fases iniciais.

Os ligamentos mantêm a estabilidade das articulações.

Os exercícios musculares são aqueles onde não há quase nenhum movimento durante a contração.

Esta é uma forma excelente para prevenir o enfraquecimento dos músculos durante o descanso.

O movimento articular mínimo assegura uma recuperação mais rápida do ligamento.

Dependendo do tipo de distensão do ligamento, atividades com pesos e com apoio articular são iniciadas.

A bandagem elástica é outra forma de apoiar a articulação durante uma lesão do ligamento.

Ela proporciona estabilidade, ao mesmo tempo em que permite um pouco de movimento para as atividades diárias.

Exercícios proprioceptivos e de equilíbrio são essenciais para a reabilitação após uma lesão do ligamento.

Os ligamentos possuem pequenos receptores que constantemente enviam sinais sobre a posição da articulação ao cérebro.

Exercícios de equilíbrio em superfícies estáveis e instáveis ajudam a reorientar estes receptores.

Isso é extremamente importante para evitar uma nova lesão.

Os ligamentos mais comumente lesionados são o ligamento cruzado anterior, o ligamento colateral medial no joelho e o ligamento colateral lateral no tornozelo.

O LCA geralmente é lesionado quando uma pessoa tenta mudar de direção de repente, quando o pé está firmemente plantado no chão.

Um golpe no joelho, para dentro, é uma causa típica para uma lesão no ligamento colateral media.

A torção do pé para dentro ao descer escadas resulta em uma lesão do ligamento colateral lateral no tornozelo.

• Tendinite

A tendinite uma lesão do tendão devido ao uso exagerado deste.

Quando a taxa de lesões excede a taxa de recuperação, há uma degeneração nas fibras do tendão.

O tendão de Aquiles para corredores, o tendão supra-espinhoso para nadadores e o cotovelo de tenista para esportes com raquete.

A melhor forma de gerenciar uma lesão do tendão é reduzindo a intensidade da atividade por alguns meses, incluindo fortalecimento excêntrico.

A contração excêntrica é quando os músculos se alongam e contraem ao mesmo tempo.

• Bursite

A bursite é outra condição ortopédica que é frequentemente atendida por especialistas em fisioterapia.

A fisioterapia no gelo e correções da biomecânica ao redor da bursa geralmente ajudam a acelerar a recuperação.

Um fisioterapeuta ortopédico tem uma compreensão excelente da biomecânica de uma articulação normal.

Ele deve saber como a biomecânica alterada em uma articulação pode alterar a transmissão de força das articulações embaixo dela.

A bursa subacromial na articulação do ombro e a bursa trocantérica no quadril são as bursas mais comumente inflamadas.

• Rigidez pós-fratura

É talvez o problema mais comumente encontrado pela fisioterapia ortopédica.

A fratura do quadril é uma fratura comum de ocorrer após escorregar no banheiro, principalmente para idosos.

Outras fraturas comuns incluem a fratura supracondilar do úmero ou do osso do braço, e a fratura de Colle na extremidade inferior do rádio (osso do antebraço).

O tratamento após uma fratura é dividido em algumas etapas pré definidas.

• Etapa de Imobilização

Que foca em manter a força dos músculos imobilizados.

Ela também foca em manter a amplitude de movimento nas articulações próximas.

Uma vez que o gesso é retirado, a fase de mobilização começa.

Para uma fratura no membro superior, a fisioterapia foca em recuperar a amplitude de movimento e força perdidas na articulação afetada.

Para uma fratura de membro inferior, a ênfase estará no suporte de peso gradual dependendo dos estágios de cura da fratura.

O fisioterapeuta utilizará várias técnicas como alongamento e mobilização da articulação para aumentar a amplitude de movimento.

Ele pode utilizar faixas elásticas e sacos de areia para o fortalecimento.

O treinamento de caminhada é alcançado com o uso de barras paralelas.

Um espelho é utilizado como feedback para corrigir a postura e movimentos da escápula e da pélvis.

Outro objetivo muito importante é a prevenção de contraturas e deformidades nas articulações cobertas pelo gesso.

Exercícios suaves de alongamento e de amplitude do movimento ajudam a resolver o problema.

• Dor no pescoço ou nas costas

Compõem mais de 90% do trabalho clínico.

Um estilo de vida corrido, sedentarismo e acidentes de carro são algumas das causas de dores no pescoço ou nas costas.

Os fisioterapeutas tratando destes problemas se concentram principalmente na correção postural em casa ou no escritório para aliviar a dor.

O uso de alongamentos, massagem profunda do tecido e exercícios de fortalecimento para os músculos do pescoço e lombar ajudam a aliviar a dor.

Estes fisioterapeutas educam os indivíduos sobre a modificação das atividades e ergonomia para evitar a recorrência da lesão.

Casos mais severos como hérnia de disco ou fraturas vertebrais também são tratados por estes fisioterapeutas.

Um plano personalizado de reabilitação que envolve a educação, correção de atividades, fortalecimento e ergonomia para se virar, levantar objetos, formam a maior parte do tratamento.

• Osteoporose

Esta condição é caracterizada por ossos fracos e frágeis como resultado de uma deficiência de cálcio ou vitamina D.

Ela também pode ocorrer devido a outros desequilíbrios hormonais.

Exercícios de levantamento de peso e resistência são eficazes para indivíduos que sofrem de osteoporose.

Estes exercícios fortalecem os ossos e músculos.

Esta condição é mais comumente vista em indivíduos idosos, principalmente mulheres após a menopausa.

O fisioterapeuta também ensina exercícios de equilíbrio para evitar quedas e a recorrência de fraturas.

• Lesão por esforço repetitivo – LER

É comumente vista em atletas ou pessoas que trabalham em escritórios, que ficam na mesma ação repetidamente durante todo o dia.

As posturas e técnicas de ação destes indivíduos são avaliadas.

Má postura, recrutamento dos músculo defeituoso e técnicas incorretas são identificadas pelos fisioterapeutas, que então planejam um programa de modificação de atividade.

O plano tem por objetivo corrigir o problema do desequilíbrio muscular e do padrão de recrutamento defeituoso.

O fisioterapeuta também sugere modificações ao local de trabalho ou casa para prevenir futuras reincidências.

Vejas as últimas notícias em nosso Blog

Amplitude de Movimento (ADM) na Fisioterapia Domiciliar

    Amplitude de Movimento (ADM) na Fisioterapia Domiciliar A Amplitude de Movimento na Fisioterapia Domiciliar é uma técnica básica usada para o exame do movimento, e fundamental para iniciar qualquer tratamento fisioterapêutico. O movimento necessário para realizar...

ler mais

Fisioterapia Uroginecológica para que Serve e Benefícios

    Fisioterapia Uroginecológica para que Serve e Benefícios Você conhece a Fisioterapia Uroginecológica? Essa especialização da Fisioterapia trata disfunções relacionadas à região pélvica e estimula o fortalecimento dos músculos da área. Mas fisioterapeuta trabalha...

ler mais

Contatos

Rua Guaiaca, 264
Rio de Janeiro
RJ CEP 21720-330

0800 591 3198

atendimento@sancare.com.br

Escreva pra gente!

Share This